O ex-prefeito Reinaldo Nogueira é conduzido por policiais militares após ser preso preventivamente em 2016

Cedoc/RAC

O ex-prefeito Reinaldo Nogueira é conduzido por policiais militares após ser preso preventivamente em 2016


O ex-prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira, foi condenado a pedido do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) pelo crime de concussão, quando agente público exige vantagens indevidas. O Judiciário impôs ao réu a pena de 8 anos de reclusão, em regime inicial fechado, mais o pagamento de 120 dias-multa.

De acordo com a denúncia apresentada pelo MP, Nogueira, por meio do então secretário municipal de Administração, Núncio Lobo Costa, exigiu da empresa Luxor Engenharia Construções e Pavimentação o pagamento de uma porcentagem de 5% do valor total de uma obra de reforma e ampliação de uma escola municipal, cuja licitação havia sido vencida pela companhia. A partir de agosto de 2015, o ex-secretário passou a exigir o recebimento da porcentagem sobre cada empenho feito pela Prefeitura. Costa também foi condenado por concussão no mesmo processo, a 6 anos e 8 meses de reclusão.

Segundo o MP, Nogueira já havia sido condenado em outras ações por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Com mais essa decisão, as penas determinadas ao ex-prefeito pelo Judiciário chegam a 48 anos e 10 meses. Nogueira chegou a ser preso preventivamente em 2016 por esse mesmo crime.

A reportagem entrou em contato no escritório dos advogados que representam o ex-prefeito, mas um não estava e os outros dois estavam em reunião e não atenderam. Nogueira foi procurado em seu telefone celular, mas não atendeu. Foi deixado recado na caixa postal, que não foi respondido até o fechamento desta edição.

A defesa do ex-secretário informou que ele não quer se manifestar.

Escrito por:

Francisco Lima Neto/AAN


Fonte: RAC

Leia também

Cravi abre inscrições para oficina sobre dependência química

Encontro ocorrerá na próxima sexta-feira (26), em SP; ação é direcionada a profissionais e…