A segunda dose da vacina contra a Covid-19, o chamado “reforço”, que garante a imunização, deve chegar em Americana, Hortolândia, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré para ser aplicada nos profissionais da linha de frente em até 15 dias, de acordo com o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn. O reforço precisa ser aplicado em prazo de 15 a 28 dias após a primeira aplicação.

Em entrevista coletiva realizada ontem – quando foi anunciada a reclassificação da região para a fase laranja do Plano São Paulo, com fase vermelha após às 20h em dias úteis e aos finais de semana – o secretário reconheceu que o Estado tem poucas doses e que a vacinação ocorrerá em ritmo mais lento que o desejável.

LEIA TAMBÉM

“São poucas doses, teremos agora 2 milhões de doses que receberemos da Astrazeneca, 20% delas, que irão para os municípios na sequência, e teremos liberação de 4,8 milhões de doses da Coronavac que, novamente, dentro da proporcionalidade, serão distribuídas aos municípios. Não é na velocidade que gostaríamos, não é a velocidade que nós precisávamos, mas de forma gradual os municípios estarão recebendo essas vacinas para terminar a fase dos profissionais da saúde, para continuarmos as outras fases, especialmente os idosos, porque correspondem a 77% das mortes”, afirmou o secretário.

Entre quarta e quinta-feira, as cidades da região receberam 10.440 doses do imunizante, sendo 3 mil para Americana, 2.840 para Hortolândia, 2.680 para Sumaré, 1.560 para Santa Bárbara d’Oeste e 360 para Nova Odessa.

Em quantidade insuficiente para cobrir toda a população que trabalha na área da saúde, as prefeituras definiram, seguindo orientação do Estado, que os profissionais da linha de frente fossem vacinados primeiro, já que estão em contato diário com pacientes infectados ou locais de grande presença do vírus.

Mais de mil pessoas já foram vacinadas

Mais de mil pessoas já foram vacinadas na região. Em Americana, 720 profissionais da Saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas e serventes hospitalares, além dos profissionais de unidades básicas de saúde, receberam a primeira dose.

Americana vacinou mais do que Hortolândia, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oestes juntas até agora. Sumaré não informou à reportagem o balanço da vacinação.

O secretário de Saúde de Americana, Danilo Carvalho Oliveira, avaliou como positivo o início da campanha, que volta segunda-feira (25). “Nós conseguimos uma boa cobertura, considerando que muitos profissionais não estão de plantão, além de toda logística diferenciada”.

Americana recebeu 3 mil doses e tem 3.738 profissionais de saúde.

Em Hortolândia, até quinta-feira (21), foram imunizados 138 profissionais de saúde, “aqueles que estão na linha de frente no combate ao coronavírus, tanto da rede pública quanto particular, além de profissionais e idosos de ILPIs (Instituições de Longa Permanência para Idoso)”, informou a prefeitura, em nota. Hortolândia tem cerca de 1.800 profissionais de saúde e recebeu 2.840 doses.

Nova Odessa vacinou os 50 profissionais de saúde que trabalham na Unidade Respiratória do Jardim Alvorada. Nova Odessa recebeu 360 vacinas e tem 650 profissionais de saúde.

Os próximos vacinados serão da equipe médica e de enfermagem do Hospital e Maternidade Dr. Acilio Carreon Garcia (190 profissionais), informou o Executivo.

Santa Bárbara, que recebeu 1.560 doses da vacina, e tem 3,4 mil profissionais de saúde, imunizou mais 90, totalizando 217 vacinados. Foram vacinados trabalhadores do hospital de campanha, Hospital Santa Bárbara e Pronto-Socorro Dr. Edison Mano, “que atuam diretamente no atendimento”. | PEDRO HEIDERICH

Leia também

ArcelorMittal Gonvarri divulga oportunidade(s) para Técnico Manutenção Mecânica – v2172259

Descrição Descrição: Principais Responsabilidades:LEIA TAMBÉM ArcelorMittal Gonvarri divul…