Após a polícia indicar que o celular do pastor Anderson do Carmo, morto no dia 16 de junho do ano passado, apareceu na casa do senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), a esposa do parlamentar, Yvelise de Oliveira (ao centro na foto), negou essa informação. Ela prestou depoimento nessa terça-feira (11/02/2020), no Rio de Janeiro. As informações são do jornal O Dia.

Segundo Yvelise, o casal fez um contato com o celular via internet. Ela e o marido eram amigos de Anderson do Carmo e a esposa, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ).

Para a polícia, o celular do pastor é a peça–chave para encontrar os responsáveis pela morte de Anderson. A quebra do sigilo telefônico indica que o aparelho foi levado para a casa do senador Arolde após o crime, onde um chip foi colocado. Dias depois, o aparelho estaria em Brasília, na posse de um pastor evangélico. A celular ainda está sumido.

A mais recente localização indica que o celular foi conectado ao wifi de um casa em Brasília, em nome do delegado da Polícia Federal Luiz Dorea. Ele será intimado a depor.

O pastor foi morto em junho do ano passado, quando chegava em casa, em Niterói, com Flordelis. Dois filhos da parlamentar estão presos suspeitos de participarem do crime. A polícia não descarta a participação de outras pessoas no assassinato.

Fonte: Metropoles

Leia também

Serasa e mais 34 contratam para estágio e trainee

Pessoas trabalhando (Hinterhaus Productions/Getty Images) Mira uma vaga de trainee&nb…