Moradores de nove bairros próximos à instalação, gerida pela companhia, reclamam de mau cheiro exalado do local

Matheus Pereira/Especial para a AAN

Moradores de nove bairros próximos à instalação, gerida pela companhia, reclamam de mau cheiro exalado do local


A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) enviou nota ao Correio Popular sobre o problema do mau cheiro exalado pela Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Hortolândia, que é gerida por ela. Moradores de nove bairrros próximos estão revoltados com a situação e preparam um protesto para a próxima terça-feira.

De acordo com a nota, a Sabesp informa que a ETE da cidade opera normalmente e que, em atenção às reclamações, está realizando monitoramento e vistoria de todo o sistema de afastamento e tratamento de esgotos do município. Diz ainda que o monitoramento ocorre além dos arredores da estação, com o objetivo de identificar as possíveis fontes geradoras de odor, a fim de promover ações mitigatórias.

Uma novidade é que a empresa anunciou que em virtude dessas ocorrências, também estará instalando equipamento para monitorar a emissão de gases na Estação.

“A CETESB, órgão de fiscalização ambiental, inspecionou o local e confirmou a normalidade da operação da estação (anexa). A empresa disponibiliza sua Central de Atendimento para registro de ocorrências pontuais por meio do telefone 0800 0550 195, que atende 24 horas”, concluiu a nota.

Protesto


Moradores de Hortolândia estão preparando um protesto para ocorrer na terça-feira, contra o mau cheiro exalado pela ETE, localizada no bairro Parque Hortolândia. O problema atingiria nove bairros que ficam no entorno do equipamento, inaugurado em 2009, como os bairros Jatobá, Mônaco, Parque Olívio Francisquini, Parque Hortolândia, Parque São Miguel, Remanso Campineiro, Paineiras, Vila Real, Colinas e parte do Centro.

O protesto está sendo organizado pelos integrantes do grupo do projeto Cidadão Fiscalizador de Hortolândia, administrado pelo advogado Douglas Oliveira, que está fazendo a convocação por meio das redes sociais Facebook e WhatsApp.

“Nessa manifestação vamos nos concentrar às 16h em frente à Prefeitura com cartazes e faixas de protesto cobrando medidas para solucionar o problema”, disse o advogado, que espera uma boa resposta do público ao protesto.

Oliveira afirmou que já oficiou as autoridades sobre o problema, mas que nenhuma medida teria sido tomada. “Enfrentamos esse problema há mais de cinco anos e agora piorou”, reclamou. Na página oficial do grupo no Facebook, o problema é tratado como descaso e problema de saúde pública.

A advogada Elaine Avancini, de 48 anos, que mora a cerca de 800 metros da ETE, disse que o cheiro é tão forte que não dá para deixar as janelas de casa abertas e que na hora das refeições chega a sentir náuseas.

Marisa da Silva, de 76 anos, aposentada, que mora duas ruas acima da estação de esgoto, afirmou que em dias de sol forte ela tem que sair de casa para aliviar um pouco a situação.

Por meio de nota oficial, a Prefeitura de Hortolândia divulgou que, em atenção aos moradores dos bairros vizinhos à ETE, que sofrem com o mau cheiro, cobrou da empresa uma solução para o problema. A Administração diz ter contatado a empresa na última segunda-feira, por meio de ofício.

Escrito por:

AAN


Fonte: RAC

Leia também

Cravi abre inscrições para oficina sobre dependência química

Encontro ocorrerá na próxima sexta-feira (26), em SP; ação é direcionada a profissionais e…