A Bolsa Talento Esportivo, oferecida pela Secretaria de Esportes do Governo do Estado de São Paulo, é um instrumento pleiteado há muito pela comunidade esportiva para preencher uma lacuna existente na formação e aprimoramento daqueles que representam ou irão representar nosso Estado e nosso País, buscando o pódio e mostrando sua força.

A entidade governamental é a responsável pelo programa, que auxilia no desenvolvimento de atletas praticantes do desporto escolar e de alto rendimento em modalidades olímpicas e paraolímpicas, individuais e coletivas. Em 2018, mais de 547 atletas das categorias Estudantil, Júnior, Nacional e Internacional, foram beneficiados com repasses mensais que variam de R$ 415,00 a R$ 2.490,00, totalizando R$ 3.722.410,00.

O secretário de Estado, Aildo Rodrigues reforça a importância do projeto: “O Programa Bolsa Talento é um dos mais importantes da Pasta, que beneficia atletas que representam o Brasil em grandes campeonatos, como as Olimpíadas”, ressalva.

Oportunidades

Do interior do estado para o mundo, Marcos Paulo, de Pindamonhangaba, e Jessica Vitória, de Guariba, ambos de 17 anos, são exemplos de como o programa Bolsa Talento pode ajudar a vida dos esportistas. Em 2018, ambos atingiram o auge de suas jovens carreiras ao representarem o Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires.

Os atletas descobriram o esporte com 11 anos. Marcos começou na escola com um projeto que incentivava o esporte no ambiente escolar. Já Jessica estava brincando com a irmã quando começou a prática esportiva: “Eu fui brincar em um parquinho com minha irmã e tinha um professor que dava treino, ele nos chamou para correr, depois desse dia eu não parei mais”, destaca.

Desde 2015, os dois jovens participam do programa após uma dica do treinador que conhecia o Bolsa Talento do Governo do Estado. “O técnico que foi com a nossa delegação, nos auxiliou e disse que tínhamos essa oportunidade”, enfatiza Marcos Paulo.

A ajuda de custo do Bolsa Talento Esportivo é fundamental para o desenvolvimento do atleta, de acordo com Jessica: “Olha, já consegui bastante coisas com o Bolsa Talento e uso pra comprar sapatilhas, tênis, bolsa, materiais esportivos, suplementos, alimentos e roupas”. Marcos vai além. “O Bolsa Talento tem me ajudado muito, hoje eu vejo que sem ele não teria chegado aonde cheguei.”

Além dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, os dois representaram o Brasil em outros campeonatos fora do país, como nos Jogos Sul-Americanos no Chile e no Gymnasiade em Marrocos. Em ambos os torneios, Marcos e Jessica trouxeram o ouro para São Paulo.

Maratona

Há dois anos dedicado exclusivamente ao projeto, Alain Molinas analisa centenas de currículos, todos os dias, num volume intenso de trabalho. O gestor do programa explica que o benefício não tem um público-alvo específico, nem privilegia faixas etárias. “A Ginástica Rítmica, por exemplo, tem uma idade limite para que a atleta de alta performance se desenvolva. Já no ciclismo, são raros os casos de sucesso antes dos 25 ou 30 anos. Por isso, não existe um critério oficializado: cada modalidade tem suas particularidades”, conta.

Entretanto, as exigências para a concessão e manutenção da Bolsa Talento Esportivo são altas. “Fazemos um acompanhamento trimestral, junto a outras 11 diretorias administrativas espalhadas em todo o Estado de São Paulo. Assim, conseguimos monitorar mais de perto os treinos, os gastos, de maneira mais criteriosa e transparente – tanto para os atletas e suas famílias como para os contribuintes que financiam esta jornada”.

Para saber mais sobre o Programa Bolsa Talento Esportivo, acesse:

http://www.selj.sp.gov.br/bolsa-talento/

Leia também

Cravi abre inscrições para oficina sobre dependência química

Encontro ocorrerá na próxima sexta-feira (26), em SP; ação é direcionada a profissionais e…