Quer receber as principais Notícias de Hortolândia e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Família chegou a pagar uma parte do valor e Polícia Civil confirma que houve quantia recuperada. Sequestrador com informações privilegiadas é parente de pessoa que trabalhava para a família.

A Polícia Civil de Hortolândia prendeu nesta quinta-feira cinco pessoas suspeitas de participação no sequestro de um empresário da cidade. A vítima, de 30 anos, foi pega na quarta-feira e ficou cerca de 24 horas em poder dos bandidos.

Ele foi capturado enquanto ia de casa, em Campinas, para a fábrica da família, em Hortolândia. A família chegou a pagar parte do resgate e o rapaz foi solto. O valor pago não foi divulgado. O grupo, no entanto, teria exigido mais dinheiro, alegando que conhecia a rotina de toda a família e poderia realizar novos sequestros.

Quatro suspeitos foram presos, sendo três em Campinas (SP) e um em Hortolândia. A polícia afirma que o homem com informações privilegiadas é parente de pessoa que trabalhava para a família.

O rapaz ficou no imóvel desde a manhã até o fim da tarde de quinta-feira. Ele foi solto após os sequestradores receberem o dinheiro da família.

Ao registrar, no Plantão Policial da cidade, o boletim de ocorrência do roubo do veículo em que estava no momento da abordagem, o empresário, mesmo assustado, admitiu que tinha sido sequestrado e que havia sido mantido em um cativeiro localizado no Jardim Amanda 2.

Os policiais o colocaram em uma viatura e iniciaram buscas pela região, tentando encontrar o local. Nesse percurso, o empresário reconheceu pelo adesivo de uma funilaria a caminhonete – uma Chevrolet S10 – usada pelos bandidos para abordá-lo.

Os suspeitos estão presos temporariamente. Os quatro homens passaram a noite na delegacia e fizeram exame de corpo de delito nesta manhã no Instituto Médico Legal (IML) de Americana (SP). A mulher é namorada de um deles que emprestou, segundo as investigações, a casa onde vive com a filha para servir de cativeiro e também passou pelos exames.

De acordo com a Polícia Civil, todos eles confirmaram participação no sequestro, que ocorreu nesta quinta (23), mas o grau de envolvimento de cada um ainda será apurado.

As investigações apontam que um dos suspeitos é filho de um atual ou ex-funcionário da empresa da família, e que foi por meio dele que os sequestradores conseguiram chegar na vítima.

“Serão indiciados por extorsão mediante sequestro, associação criminosa, devido à quantidade de envolvidos, e se surgir alguma outra conduta criminosa, a gente vai colocar no relatório final”, explica o delegado Diego Bini.

O delegado apura se há outros envolvidos no crime. A vítima deve ir na delegacia ainda nesta sexta para fazer o reconhecimento de todos os suspeitos.

O rapaz ficou das 9h às 17h como refém dos criminosos em uma residência no Jardim Amanda 2. Para soltá-lo, pediram cerca de R$ 1 milhão de resgate. A família da vítima entregou parte do valor e o rapaz foi solto. Após registrar o caso na delegacia, as diligências começaram para encontrar os criminosos.

A vítima mostrou aos investigadores locais que reconheceu ter ficado junto com o bando, no Jardim Amanda 2. A caminhonete usada no sequestro foi vista no bairro e, com isso, os suspeitos foram encontrados.

“Essa caminhonete parou no local e justamente o indivíduo foi reconhecido pela vítima, foi detido. A partir daí, começaram as diligências”, afirma o delegado Fernando Bueno de Castro.

A polícia informou que parte do dinheiro entregue aos criminosos foi recuperada.

Leia também

Confidencial está com vaga(s) de emprego para Assistente de Recursos Humanos (Monte Mor)

Atribuições Será responsável pelas demandas de RH respondendo por recrutamento, seleção, i…