O prefeito de Hortolândia (SP), Angelo Perugini (PSD), que morreu na quinta-feira (1º) por complicações da Covid-19, foi enterrado na manhã desta sexta (2) em Jacutinga (MG), cidade onde nasceu. A cerimônia foi fechada e restrita a poucos familiares e amigos, por conta das restrições impostas pela pandemia.

O chefe do Executivo, de 65 anos, estava internado há dois meses na UTI de um hospital em São Paulo. Ele foi eleito para comandar a cidade do interior de São Paulo por quatro vezes.

Na quinta-feira, políticos e colegas publicaram homenagens a Perugini nas redes sociais. Em nota, a família destacou o “legado de muito trabalho e esperança de que Hortolândia pode ser ainda melhor”, além de agradecer o carinho e apoio dos médicos dos dois hospitais que ele foi atendido. O sepultamento aconteceu por volta das 10h.

Perugini completaria 66 anos em 6 de abril. Outra homenagem foi feita na página dele em rede oficial.

Histórico

Na manhã de quinta, a Prefeitura de Hortolândia havia informado que ele havia tido um significativo agravamento no quadro clínico e algumas funções cerebrais poderiam ter sido afetadas. Na segunda-feira (29), a assessoria do governo municipal afirmou que o estado de saúde de Perugini era gravíssimo.

Inicialmente, o político recebeu atendimento no Hospital Samaritano, em Campinas (SP). Já no dia 3 de fevereiro, acabou transferido para a capital.

O prefeito eleito de Hortolândia, Angelo Perugini — Foto: Reprodução / EPTV

Após seis dias, com o agravamento do caso, foi intubado. Segundo a apuração da Globo São Paulo, Perugini estava internado no Hospital 9 de Julho.

No dia 15 de fevereiro, a Câmara dos Vereadores aprovou o afastamento de Perugini e o vice-prefeito, Zezé (PL), assumiu a prefeitura interinamente.

Angelo Perugini, ex-prefeito de Hortolândia — Foto: Fabiano Cavalcante

Mineiro de Jacutinga, Angelo Augusto Perugini nasceu no dia 6 de abril de 1955, saiu de casa aos 10 anos e decidiu ser padre. Participou de movimentos sociais relacionados à luta por terra e moradia, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), que o levaram para a política.

O chefe do Executivo chegou a Hortolândia em 1981 e foi vereador quando a cidade ainda era um bairro de Sumaré. O político atuou como uma das vozes da emancipação do município, em 1991. De 1997 a 2000, foi vice-prefeito e atuou na implantação do Hospital Municipal Governador Mário Covas, quando era secretário de saúde.

Perugini foi prefeito de Hortolândia por quatro oportunidades, sendo escolhido para o cargo em 2004, 2008, 2016 e 2020. Além de comandar a cidade, também foi deputado estadual, eleito em 2014.

Angelo Perugini, prefeito de Hortolândia — Foto: Prefeitura de Hortolândia

O político foi filiado ao PT por 36 anos. No dia 1º de março de 2016, ele se desligou do partido e se filiou ao PDT. Já em 2020, para concorrer novamente à prefeitura, se transferiu para o PSD.

No ano que foi eleito para a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), em 2014, quando ainda era do Partido dos Trabalhadores, Perugini atuou na campanha que fez Hortolândia ser uma das duas cidades do estado onde a então candidata à reeleição pelo PT Dilma Rouseff venceu Aécio Neves (PSDB), no segundo turno do pleito presidencial. O outro município foi Monte Mor (SP).

Ele foi casado com a ex-deputada federal e estadual Ana Perugini e deixa três filhos. Veja, abaixo, entrevistas dele à EPTV, afiliada da TV Globo, e ao G1 quando foi conduzido à prefeitura pela quarta vez, no ano passado, com 52,05% dos votos válidos.

Angelo Perugini, prefeito reeleito em Hortolândia, destaca prioridades para o 4° mandato

Angelo Perugini, prefeito reeleito em Hortolândia, destaca prioridades para o 4° mandato

Reeleito, Angelo Perugini explica os projetos para o novo mandato em Hortolândia

Reeleito, Angelo Perugini explica os projetos para o novo mandato em Hortolândia

Leia também

ADM DO BRASIL divulga oportunidade(s) para Analista de Planejamento de Materiais SR – v2190737

Descrição Requisitos: Formação Acadêmica: Superior completo em administração, logísti…