A Região Metropolitana de Campinas (RMC) prevê vacinar mais de 450 mil pessoas contra a Covid-19, na primeira fase da imunização, que deve começar na próxima semana em profissionais da Saúde e pessoas acima de 60 anos.

É o maior plano de logística de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) e considerado um momento histórico por prefeitos da região.

A expectativa é de que a campanha tenha início na quarta ou quinta-feira.

A logística irá envolver todo o efetivo da Polícia Militar (PM) na segurança do transporte e armazenamento da vacina e no monitoramento dos locais de vacinação e mais de mil profissionais da saúde que atuarão na campanha para proteger mais de 100 mil profissionais que atuam na área da Saúde nas 20 cidades da RMC e em torno de 260 mil pessoas acima de 60 anos.

O início da vacinação depende ainda da autorização da Anvisa para o uso emergencial das vacinas.

A diretoria da agência vai ser reunir neste domingo para analisar as solicitações do Instituto Butantan para a Coronavac e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a vacina do consórcio Astrazeneca/Oxford.

Na região, centros de saúde, centros esportivos, clubes, postos volantes em praças serão utilizados para a imunização.

Planos

Prefeituras estão montando seus planos, e a maioria definiu que terá agendamento on line para evitar aglomerações, como é o caso, por exemplo, de Campinas, Hortolândia e Indaiatuba.

Mas há cidades, como Nova Odessa, que ainda não receberam do Estado ou do Ministério da Saúde material cirúrgico com destinação específica para uso na eventual campanha de imunização contra a Covid, mas isso não impedirá o início da vacinação, porque utilizará os materiais existentes nos estoques das salas de vacina na rede municipal.

Nas 20 cidades da RMC, a maioria já está com estoque dos insumos necessários para a campanha, com seringas, agulhas e outros materiais, e com câmaras de refrigeração prontas para receber as vacinas. O calendário da vacinação na região, para os grupos prioritários, depende da chegada das vacinas.

META DE VACINAÇÃO NA RMC

Cidade……………………………………………….Profissionais da saúde e idosos
Americana………………………………………………………………………….35.738
Artur Nogueira…………………………………………………………….não informou
Campinas…………………………………………………………………………209.368
Cosmópolis…………………………………………………………………………..9.000
Engenheiro Coelho……………………………………………………….não informou
Holambra……………………………………………………………………………..3.000
Hortolândia…………………………………………………………………………27.800
Indaiatuba………………………………………………………………………….35.111
Itatiba………………………………………………………………………………..19.734
Jaguariúna……………………………………………………………………………9.730
Monte Mor………………………………………………………………….não informou
Morungaba…………………………………………………………………………..2.485
Nova Odessa…………………………………………………………………………6.350
Paulínia……………………………………………………………………………..12.830
Pedreira……………………………………………………………………………….5.400
Santa Bárbara d’Oeste…………………………………………………………..22.976
Santo Antonio de Posse…………………………………………………………..2.697
Sumaré………………………………………………………………………………33.000
Valinhos……………………………………………………………………………..15.570
Vinhedo……………………………………………………………………………….7.000
Total………………………………………………………………………………..457.789

Fonte: prefeituras

Dário avalia que teremos um “avanço extraordinário”

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), avalia que o início da campanha de imunização representa um avanço extraordinário para o controle da pandemia. “É um momento histórico”, afirmou.

A diretora da Devisa, Andrea Von Zuben, disse que os profissionais da secretaria estão animados com o início da vacinação em pessoas acima de 60 anos, porque 87% das mortes por Covid em Campinas ocorrem nessa faixa de idade.

“Sabemos que vamos conseguir uma grande vitória vacinando essa população”, disse Andrea.

Campinas não utilizará a rede de centros de saúde na campanha para não colocar em contato a população em atendimento com aquelas que irão receber a vacina. A cidade terá grandes centros de imunização, mas os locais ainda não foram divulgados.

O plano municipal terá 70 equipes de três pessoas vacinando, das 7h às 22h, inclusive sábados, domingos e feriados.

Idosos acamados receberão o imunizante em casa. Haverá sistema drive-thru para idosos que tenham mobilidade reduzida.

O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis (MDB), afirma que além de ser um momento histórico, é também de esperança em dias melhores. “Sem dúvida, temos que comemorar e enaltecer os esforços da Ciência. Mas só iremos superar de fato a pandemia com união, perseverança e colaboração de toda a sociedade. Por isso, mesmo com a vacina, é importante mantermos em nossa rotina todos os cuidados que já conhecemos, como o distanciamento social, o uso do álcool em gel e das máscaras”, afirmou.

“É um momento de esperança pra todos nós, mas ainda é preciso lembrar que temos que continuar nos protegendo e cuidando do próximo. Juntos vamos vencer essa batalha”, disse a prefeita de Valinhos, Capitã Lucimara Godoy.

Em todo o Estado, a meta é imunizar 9 milhões de pessoas dos grupos prioritários, com a aplicação de 18 milhões de doses até 28 de março.

A campanha, coordenada pela Secretaria Estadual da Saúde em parceria com os 645 municípios paulistas, visa dobrar o total de postos de vacinação dos atuais 5,2 mil para até 10 mil.

A estimativa é de que a vacinação envolva 79 mil profissionais, com 54 mil trabalhadores do setor da saúde e 25 mil agentes da segurança pública para garantir a segurança da população e evitar aglomerações nos locais de imunização.

Escrito por:

Maria Teresa Costa

Leia também

Hospital municipal de Hortolândia tem pacientes à espera de transferência para hemodiálise

LEIA TAMBÉM Hospital municipal de Hortolândia tem pacientes à espera de transferência para…