Carregando nas costas o peso de quase um ano de luta contra a Covid-19 na linha de frente dos hospitais da região, os profissionais vacinados ontem não só tranquilizaram e recomendaram que a população tome a vacina quando a hora chegar, mas também falaram em esperança de dias melhores.
Em Hortolândia, o profissional escolhido para ser o primeiro vacinado, o técnico de enfermagem Silvio Carlos Palmiro, 58, que atua na UR (Unidade Respiratória) do Nova Hortolândia, emocionou-se ao falar da vacinação e de uma luta pessoal que enfrenta nesse momento: seu filho de 27 anos está internado com Covid-19 na unidade em que ele trabalha.
“Estou aqui desde o início da pandemia e espero que através dessa atitude que tomei hoje, a população se conscientize pra tomar essa vacina, porque o único jeito de a gente deixar de ser escravo dessa máscara é se imunizando. A esperança é a gente de uma vez por todas se livrar dessa doença. É a esperança minha, que estou com um filho com Covid internado nessa unidade e não desejo isso para as outras pessoas”, disse.
A técnica de enfermagem Darlly Vanessa Alves Chagas, 33, primeira pessoa a receber a vacina contra a Covid-19 na região, em Santa Bárbara, também falou em esperança. “Vou ficar mais aliviada quando toda a população, não só de Santa Bárbara, mas de todo o mundo, consiga receber essa dose. Tem sido árduo (estar na linha de frente do combate à Covid), não é fácil ficar longe da nossa família, por precaução do contato, mas tem valido a pena, porque a gente acredita que amanhã vai ser um novo dia e tudo vai melhorar”, declarou após ser vacinada.
Para a enfermeira Jessica Alves, vacinada em Nova Odessa, a imunização é o caminho para evitar mortes pela doença. “É importante tomar a vacina, porque a gente vê como os pacientes chegam, como a doença evolui rápido. É importante para que as pessoas, se pegarem, peguem de uma maneira mais leve”, afirmou.
Vacinada em Sumaré, a enfermeira Carolina Lopes destacou a emoção de participar desse momento da história. “É com muita alegria que recebi a vacina, este é o início da nossa esperança de voltarmos à normalidade, após um período tão intenso e difícil. Nossa unidade está lidando exclusivamente com os casos de Covid-19 na região e todos os dias acompanhamos as mais diferentes histórias e situações. É emocionante participar deste momento, estou muito grata e emocionada”, disse.

LEIA TAMBÉM

Leia também

Hospital municipal de Hortolândia tem pacientes à espera de transferência para hemodiálise

LEIA TAMBÉM Hospital municipal de Hortolândia tem pacientes à espera de transferência para…