A Prefeitura de Hortolândia informou ontem que recebeu, na tarde de terça-feira (2), o segundo lote da vacina contra a Covid-19. Foram enviadas pelo DRS (Departamento Regional de Saúde) Campinas, órgão do governo estadual, 2.520 doses do imunizante.
Foi a mesma quantidade que Sumaré recebeu. As outras cidades da região também receberam: Americana, 3.120; Nova Odessa, 420; e Santa Bárbara d’Oeste, 1.680.
De acordo com a Secretaria de Saúde de Hortolândia, com o envio deste segundo lote, o município prossegue com a vacinação para profissionais das redes pública e particular de saúde.
A prefeitura mantém o pré-cadastro para a segunda fase da vacinação contra a Covid-19. De acordo com a Secretaria de Saúde, o objetivo é organizar o agendamento para o início da vacinação e, com isso, evitar aglomeração, conforme os protocolos sanitários para evitar a disseminação do coronavírus.
Idosos com 60 anos ou mais podem fazer o pré-cadastro no site da prefeitura (www2.hortolandia.sp.gov.br), clicando no respectivo banner.
No pré-cadastro, o interessado deverá informar nome, bairro, telefone, data de nascimento e número do CPF, além de apontar se tem alguma deficiência motora, que dificulte o acesso ao local de vacinação.
A Secretaria de Saúde fará a verificação destes dados com o cadastro da pessoa no e-SUS, que é o banco nacional de dados do sistema público de saúde. Caso os dados estejam corretos, a informação do agendamento de cada pessoa estará disponível para consulta no site da prefeitura. Para fazer a consulta, é necessário informar o CPF e a data de nascimento.
Em caso dos dados estarem incorretos, o morador será orientado a entrar em contato com a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de sua casa para atualizar os dados.
Quem tiver o pré-cadastro negado em virtude de desatualização de dados também pode entrar em contato com a prefeitura via WhatsApp pelo número (19) 99976-4720. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
A data da aplicação da vacina será agendada conforme a ordem de prioridade definida pela Secretaria Estadual de Saúde e mediante a entrega do imunizante pelo governo estadual.

LEIA TAMBÉM

Leia também

Maioria dos fabricantes brasileiros de cloroquina não recomenda o remédio para covid-19

Durante a posse do ministro da saúde, em setembro, o presidente Jair Bolsonaro mostra uma …