Hortolândia e Nova Odessa são os municípios da região que possuem os melhores indicadores somados de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Ambos tiveram pontuação superior a 489 pontos – de 500 possíveis – no Ranking ABES de Universalização do Saneamento. 

Hortolândia, aliás, se destaca na sexta colocação entre todos os municípios brasileiros ranqueados com mais de 100 mil habitantes.  A cidade não está no topo da lista porque deixava de tratar em 2018 (ano-base da pesquisa) 0,03% do esgoto coletado. 

LEIA TAMBÉM

Apenas 98 municípios brasileiros – dos 1.857 analisados – apresentam índices que os colocam no mesmo patamar, muito próximos de oferecer todos os serviços, a todos os moradores. 

Outros dois municípios da região – Americana e Santa Bárbara d’Oeste – aparecem na relação dos 222 municípios brasileiros que comprovaram o chamado “compromisso assumido com a universalização do saneamento”. 

Este grupo alcançou entre 450 e 489 pontos no ranqueamento. 

Apenas Sumaré, dos cinco municípios da região, permanece fora dos melhores patamares: obteve 415,17 pontos. Apesar de a cidade garantir aos moradores quase que plenamente o abastecimento de água e disposição correta dos resíduos, o município ainda tem nota baixa no quesito tratamento de esgoto. Apesar da coleta eficiente, só 25,86% dos resíduos eram tratados em 2018. 

Sumaré, no caso, aparece no ranking como um município que demonstra “empenho da universalização do saneamento”. Ocupa a 129ª colocação na relação dos melhores desempenhos do Brasil, entre as cidades com mais de 100 mil habitantes. 

NO TOPO     

Três cidades paulistas aparecem no topo do ranking das cidades com mais de 100 mil habitantes. São Caetano do Sul, Rio Claro e Piracicaba marcaram 500 pontos, o máximo possível. 

RECURSOS  

O levantamento, que neste ano chegou à sua quarta edição, é feito com base nas informações prestadas pelas próprias prefeituras ao SNIS (Sistema Nacional de Informações e Saneamento). O documento final apresenta um panorama da situação de cada município na formulação do próprio Plano de Saneamento Básico, obrigatório para a obtenção de recursos da União para o aprimoramento de tais serviços. 

BRK 

A BRK Ambiental, empresa responsável pela administração dos serviços públicos terceirizados de saneamento básico em Sumaré, informou à reportagem do TODODIA que, desde que foi contratada, em 2015, aumentou de 14% para 30% o índice de tratamento de esgoto no município (acréscimo de 125.750 litros no volume de esgoto tratado mensalmente na cidade). No período, foram investidos R$ 111 milhões para a expansão do saneamento básico da cidade. A cidade ganhou 22 quilômetros de novas redes e dobrou a quantidade de água fornecida às torneiras. 

A direção da concessionária anuncia a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Tijuco Preto, que será responsável por tratar o esgoto das regiões do Matão e Área Cura. Com investimento previsto de R$ 60 milhões, a nova estação vai permitir elevar o índice de tratamento de esgoto do município dos atuais 30% para 65%. As obras de terraplenagem já estão concluídas. 

AS NOTAS 

Hortolândia 499,97
Nova Odessa 489,43
Americana 480,23
Sta. Bárbara 467,90
Sumaré 415,17

CIDADES AINDA AINDA VÃO SUBIR MAIS NO RANKING 

O desempenho de cada cidade no ranking 2020 da ABES não contabiliza os investimentos feitos pelas prefeituras nos anos de 2019 e 2020 para a universalização do saneamento. No momento em que tais ações forem consideradas, a pontuação de cada uma vai subir bastante, e elas estarão bem próximas do topo do ranking. 

Nas cidades ranqueadas com mais de 100 mil habitantes, Santa Bárbara está na 68ª colocação entre as melhores do Brasil (467,90 pontos) porque tratava até o ano retrasado 69,24% do esgoto coletado. Mas os serviços avançaram: a cidade, que já tinha uma estação de tratamento de esgoto (Toledos), inaugurou mais duas (Toledos 2 e Balsa), além de programar a inauguração da quarta ETE (Barrocão) até o final no ano. A cidade vai tratar 100% dos detritos até dezembro, e se equiparar aos índices exibidos hoje por Hortolândia e Nova Odessa. 

Americana, 55ª colocada no ranking atual (480,23 pontos), também fará parte das cidades do melhor patamar (rumo à universalização do saneamento), pois conclui a estação de tratamento da Balsa. 

Nova Odessa marcou 489,43 pontos e aparece na relação das 58 cidades com menos de 100 mil habitantes que conseguiram o melhor patamar do saneamento. Todas estão no rumo da universalização. 

Com a inauguração neste ano de uma nova ETA e os investimentos no abastecimento de água para as chácaras do pós-Anhanguera, o setor vai atingir a excelência plena. 

Leia também

BOLETIM 185: MONTE MOR REGISTRA NESTA QUARTA-FEIRA MAIS NOVE CASOS POSITIVOS DO NOVO CORONAVÍRUS E TOTAL CHEGA A 1490

A Prefeitura de Monte Mor, por meio do Comitê de Enfrentamento e Prevenção ao Novo Coronav…