Quer receber as principais Notícias de Hortolândia e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na próxima 4ª feira (24), o governo deve apresentar as regras para flexibilização dos saques dos recursos das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS/Pasep. Neste domingo (21), o presidente Jair Bolsonaro confirmou a data e disse que a medida é um “paliativo” diante do atual cenário econômico.

Segundo o presidente, “pequenos acertos” estão sendo feitos. “Não queremos desidratar a questão do Minha Casa, Minha Vida, que é importante para quem precisa de uma casa. Não queremos ser irresponsáveis”. O programa do governo federal, que oferece condições atrativas para o financiamento de moradias para famílias de baixa renda, usa recursos do fundo.

Em vez de dar mais detalhes sobre será viabilizado o saque, Bolsonaro voltou a falar sobre o fim da multa de 40% sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de empregados demitidos sem justa causa.

“Eu não quero manchete no jornal amanhã: ‘O presidente está estudando reduzir o valor da multa’. O que eu estou tentando levar para o trabalhador é o seguinte: menos direitos e emprego, ou todos o direitos e desemprego”, acrescentou.

No sábado (20), o presidente já havia afirmado que a multa virou regra, uma vez que é difícil ocorrer, segundo ele, demissões sem justa causa. “Dificilmente, você dá demissão por justa causa. Mesmo dando, o cara entra com ação contra você. Dificilmente se ganha ação nesse sentido. Os patrões pagam [a multa]”, disse.

“Assim como quem estava empregado ficou mais difícil ser demitido, quem empregava começou a não empregar mais pensando em possível demissão”, justificou. Apesar disso, afirmou: “Não vou propor [o fim dos] 40%”.

Fonte: OP9

Leia também

Judô de Hortolândia conquista medalhas de ouro e prata no Chile

Roberta Yamashita e Elsa Ikeda representaram Hortolândia e o Brasil em competição Sulameri…