As ações do PIC, o Programa de Incentivo ao Crescimento da Prefeitura de Hortolândia, foram apresentadas pelo prefeito Angelo Perugini na Alemanha, nesta semana, durante as atividades do Projeto ANDUS (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável no Brasil), promovido pelo Governo Federal, por meio do MCDI (Ministério das Cidades), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Alemã de Cooperação Técnica Internacional, a GIZ GmbH (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit). Hortolândia é um dos cinco municípios brasileiros selecionados para participar do projeto. O objetivo da visita do prefeito ao país europeu é conhecer estratégias de desenvolvimento para Hortolândia se tornar uma Smart City (Cidade Inteligente).

A parceria internacional vem ao encontro das ações do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), que tem como objetivo promover o desenvolvimento urbano, social, econômico, ambiental e humano de Hortolândia, de modo sustentável, preparando a cidade para o crescimento urbano dos próximos 30 anos. Por meio do PIC, Hortolândia já iniciou uma série de investimentos para tornar a cidade inteligente, do ponto de vista tecnológico e de sustentabilidade. 

Na área da segurança, por exemplo, o município trabalha na instalação do sistema inteligente OCR (Optical Character Recognition – Reconhecimento Óptico de Caracteres) em câmeras de monitoramento nos principais acessos viários da cidade. O sistema permite a leitura das placas de veículos, integrando as forças de segurança para diminuir o índice de criminalidade. Além disso, em breve os radares terão o sistema Detecta, câmeras que facilitam a localização de carros furtados ou roubados. Ao ligar para o número 190, da Polícia Militar, o cidadão terá sua queixa registrada e em questões de segundos o sistema será acionado para a viatura que estiver mais perto da ocorrência realizar a abordagem.

O município também finaliza uma PPP (Parceria Público Privada) para implantação do monitoramento inteligente, ou telegestão, do parque de iluminação pública. Os 22 mil pontos de iluminação da cidade terão capacidade de fornecer o controle de cada uma das luminárias por meio de um transmissor de dados. Na prática, será possível, por exemplo, reduzir o nível de luminosidade nos horários em que há menos fluxo de pessoas nas avenidas e parques, colaborando para a economia de energia, além de monitorar falhas, como lâmpadas queimadas, o que garantirá manutenção mais rápida.

A Prefeitura inicia, nas próximas semanas, a obra de ampliação de 70 km de fibra ótica, o que possibilitará atendimento tecnológico de 80 prédios municipais, como unidades de saúde e escolas, que terão o mesmo sistema de internet e telefonia, o que agilizará a prestação de serviços à população, com economia aos cofres públicos. Hoje, a cidade conta com 10 km de fibra ótica, que atendem três prédios.

Outra ação já em andamento é a implantação do sistema Sequoia (nome da maior árvore do mundo), procedimento que transformará todos os processos do município – até então impressos em papel – em processos digitais. Atualmente, 20% dos processos já estão em novo formato, o que garantiu a economia de 194 mil páginas impressa. A meta é que, até 2020, todos os processos antigos tenham sido transferidos para a plataforma digital. A implantação do Sequoia garante mais agilidade e segurança no andamento das questões administrativas, além de poupar árvores com a economia de papel.

Na área de planejamento urbano e desenvolvimento sustentável, o PIC prevê cinco novos parques lineares, que vão criar um corredor ecológico na cidade, com a recuperação de nascentes e matas ciliares e novos espaços de lazer. O Corredor Ecológico terá ciclovia e pista de caminhada contínuas, de cerca de 10 km, unindo todas as regiões da cidade. O programa prevê, também, abertura de novas avenidas, construção de pontes e viadutos para garantir mais inteligência ao sistema viário, além de reestruturação da rede municipal de saúde.

PIC

Lançado em 2017, PIC  tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano da cidade. O programa prevê mais de 100 obras e serviços, em diversas áreas, que farão Hortolândia crescer com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. Para a realização destas intervenções, a Prefeitura conta com apoio da iniciativa privada, dos governos estadual e federal. Um dos principais parceiros do município é o banco CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), instituição com a qual o município firmou contrato equivalente a R$ 170 milhões, que serão investidos em obras de infraestrutura urbana e recuperação ambiental.

Projeto Andus

De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a parceria para cooperação técnica internacional pelo Projeto Andus proporcionará transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor em Hortolândia, de modo a tornar Hortolândia cidade modelo de sustentabilidade. A cooperação se dará por um período de um ano.

Em março, quando o projeto foi lançado em Hortolândia, o diretor do projeto, Günther Wehenpohl, disse que a ideia é conhecer projetos que a Prefeitura de Hortolândia pretende implantar na cidade e auxiliar com orientações práticas de como concretizar estes planos, dentro de metas ambientais e sustentáveis. O diretor do ANDUS enfatizou que a escolha de Hortolândia, entre todas as cidades da região Sudeste, se deu por ser um município médio em desenvolvimento em uma região metropolitana, no caso, a RMC (Região Metropolitana de Campinas). Além de Hortolândia, os demais municípios contemplados na parceria são: Fortaleza e Euzébio, no Ceará; Anápolis, em Goiás; e Tomé Açú, no Pará.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

BOSCH está com oportunidades para nove cargos em Campinas

A empresa disponibiliza nove vagas diferentes para a cidade de Campinas; mas há oportunida…