A concessionária que administra a linha férrea no Estado de São Paulo assinou, na manhã desta quarta-feira (27/05), em Brasília, contrato de concessão da rede ferroviária paulista por mais 30 anos. Com isso, a Rumo investirá mais de R$ 7 bilhões em obras de segurança ferroviária em 45 cidades onde há passagens em nível (conflito entre a linha férrea e o viário urbano). Hortolândia é o primeiro município na lista das obras que serão realizadas. “Serão mais de R$ 40 milhões para construção do viaduto sobre a via férrea na região central, o famoso viaduto da Vila Real. Esta é uma conquista de três anos de muita luta. Nós fomos vitoriosos. Parabéns, Hortolândia!”, declarou o prefeito Angelo Perugini, ao receber a notícia. Este é um presente para Hortolândia, que completou 29 anos de Emancipação política no dia 19 deste mês.

“Hoje é um dia memorável para Hortolândia e para o Estado de São Paulo. Esta obra significa segurança viária para nossa população, além de investimentos e empregos nas nossas empresas ferroviárias. Vamos proteger a vida das pessoas e incentivar a economia. Esta é uma grande conquista e uma grande alegria para todos nós”, destacou Perugini.

LEIA TAMBÉM

Os investimentos propostos pela Rumo com a renovação da concessão das ferrovias terão grande impacto em todas as cidades onde há passagens em nível, entre elas, Hortolândia, Sumaré, Americana, São Carlos, Catanduva, Jales e São José do Rio Preto. “Como cidades, nos esforçarmos para que investimentos sejam feitos a fim de eliminar os conflitos urbanos que ocorrem em nosso território e que vão além do número de acidentes de trânsito, pois também prejudicam o desenvolvimento econômico e social das cidades”, completou Perugini.

No caso de Hortolândia, a obra do viaduto sobre a linha férrea unirá as avenidas Santana (Jd. Amanda) e São Francisco de Assis (Vila Real), melhorando o fluxo de veículos, facilitando o acesso entre as regiões da cidade e evitando acidentes envolvendo veículos e trens. Uma estimativa da Secretaria de Mobilidade Urbana aponta que 17.580 veículos trafegam pelo trecho de passagem em nível diariamente.

Viaduto sobre a linha férrea

O projeto de obras do viaduto sobre a linha férrea foi elaborado pela Prefeitura e compreende intervenções desde a Igreja Matriz, na Vila Real, até a avenida Santana, logo após a ponte do córrego que corta o Parque Chico Mendes. A estrutura terá alças de acesso à rua Argolino de Moraes, que ficará sob a estrutura.

Esta obra é uma luta antiga do município, que, desde o primeiro governo do prefeito Perugini, busca parcerias para viabilizar o viaduto. Em 2009, a Prefeitura já havia desapropriado áreas com intuito de agilizar a obra e discutia com o Estado uma possível parceria. Em 2012, após a Prefeitura ter implantado medidas de segurança no trecho de conflito do sistema viário com a ferrovia, o prefeito encaminhou ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) estudo de viabilidade técnica, financeira e ambiental para a construção do viaduto. Em 2018, a Rumo anunciou a parceria para a obra, considerada prioritária pela concessionária.

PIC

Os investimentos em segurança viária fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), implantado pela Prefeitura para incentivar o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. O programa prevê mais de 100 obras e serviços, em diversas áreas. Para estas intervenções, o município conta com apoio de recursos da iniciativa privada e dos governos estadual e federal, sendo que a principal fonte de recursos é um financiamento junto ao banco internacional CAF.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

BOLETIM 219: MONTE MOR REGISTRA MAIS UM CASO POSITIVO DO NOVO CORONAVÍRUS E TOTAL CHEGA A 1602

A Prefeitura de Monte Mor, por meio do Comitê de Enfrentamento e Prevenção ao Novo Coronav…