Atletas da ginástica rítmica do projeto Escolinhas Esportivas da Prefeitura de Hortolândia inovam para manter a forma e o nível de competitividade, mesmo em casa, durante a pandemia do Coronavírus. Por meio de treinamentos e competições online, as meninas trocam experiências e ganham prêmios. Durante o mês de julho, a ginasta Alice Novaes, de 12 anos, participou do Torneio Online da Aideal, com competidoras de todo o Estado de São Paulo. Ela representou a cidade no torneio e foi destaque da série Livres, em que as ginastas criam suas próprias coreografias.

“As meninas da ginástica rítmica estão se mantendo ativas durante a pandemia do Coronavírus e, mesmo online e à distância, continuam representando muito bem a cidade. Após a volta dos treinos presenciais, continuaremos dando todo o apoio possível a elas. A ginástica rítmica sempre foi destaque na cidade, muito pelo esforço e contribuição das alunas e de seus pais. Quando as competições voltarem, torceremos para que elas continuem representando Hortolândia com muito orgulho”, afirma o secretário de Esporte e Lazer, Marcos Panício, o Mercadão.

“A Alice competiu com meninas de todo o Estado e, mais uma vez, conseguiu ser destaque. Temos muito orgulho dos esforços realizados por todas as nossas ginastas. Elas continuarão realizando atividades para voltarem bem às atividades presenciais, após a pandemia”, explica Fabiana Souza, representante da organização de mães das ginastas.

Live ajuda na troca de experiências

Além das competições e treinamentos online, a equipe da ginástica rítmica de Hortolândia também realiza ações teóricas para contribuir com o desenvolvimento do esporte e ajudar na criação das séries livres e fortalecer a experiência nas séries obrigatórias. Durante a noite desta quarta-feira (30/07), a ginasta da Escolinha Esportiva da Prefeitura Laura Souza “comandou” uma live com Natália Gáudio, ginasta profissional da Seleção Brasileira da modalidade. Mais de 300 pessoas participaram da ação.

Na live, foram debatidas ideias para melhorar a competitividade do esporte, desenvolver novas ferramentas para fortalecer a modalidade, além da busca por incentivos à ginastica rítmica no país. “As meninas debateram, com a participação de todos que estavam na live, sobre os assuntos que mais importam para a modalidade: incentivo de patrocínio, não só nas vitórias; aumento da competitividade, além do direito de mulheres, de todas as idades, não apenas até 18 anos, poderem treinar e competir”, disse Fabiana.

Ginástica Rítmica

A modalidade de Ginástica Rítmica foi implantada nas Escolinhas Esportivas da Prefeitura em 2005. Atualmente, aproximadamente 200 alunas, na faixa etária entre 4 e 18 anos, participam dos treinamentos que acontecem na Academia Municipal (Centro), nos ginásios Victor Savala (Jd. Nossa Senhora de Fátima) e Gino Bernardini (ao lado do campo do Rosolen). Após a inauguração da Estação Cidadania de Esportes – Deputado Luiz Lauro Filho, no Jardim Amanda, a capacidade para os treinamentos será aumentada, bem como o número de vagas. Quando a pandemia do Coronavírus passar, a prática esportiva na cidade voltará a ser presencial.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

Confidencial divulga oportunidade(s) para Dentista Avaliador – v2090953

Descrição ATIVIDADES: Realizar avaliação, orçamento e planejamento;  Atendimento e re…