Que tal aproveitar o isolamento social para aprender a ter uma alimentação saúdável? É importante ter uma dieta correta e equilibrada, com os nutrientes apropriados, para o bom funcionamento do organismo. A ingestão de alimentos naturais também fortalece a imunidade contra a COVID-19 e outras doenças. Para ajudar a população a proteger sua saúde, a Prefeitura de Hortolândia orienta sobre como se alimentar bem. 

O médico da Secretaria de Saúde, Eber Viotto, explica que, de acordo com a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (European Food Safety Authority – EFSA) algumas vitaminas (A, B6, B12, C, D, entre outras) e minerais (tais como cobre, folato, ferro, selênio e zinco) participam do bom funcionamento do sistema imunológico. “Todos esses nutrientes são conseguidos por meio de uma alimentação adequada”, reforça Viotto. 

LEIA TAMBÉM

Outro tipo de alimento cujo consumo é recomendado pelo médico são produtos lácteos fermentados, como iogurte e kefir. “Eles também contribuem para aumentar as defesas imunológicas, desde que a pessoa não tenha intolerância a eles. Existem estudos que mostram que quem toma regularmente leites fermentados apresenta, além de maior resistência aos microrganismos causadores de intoxicação alimentar, um melhor estado do sistema imunológico”, salienta Viotto. 

AÇÚCARES 

Dentre os nutrientes que não devem ser consumidos em excesso estão os hidratos de carbono (açúcares). De acordo com o médico, a ingestão de açúcares tem clara influência na atividade imunológica, tanto em excesso ou deficiência. “A ingestão excessiva de calorias vazias, tais como doces, refrigerantes e alimentos ultra processados, pode afetar a capacidade do sistema imunológico de combater infecções. Por outro lado, pessoas que seguem regimes desequilibrados de perda de peso, com menos de 1.200 calorias por dia, correm maior risco de contrair infecções, porque as dietas muito restritivas podem diminuir a função imunológica”, alerta o médico.

Um item cujo consumo deve ser reduzido é gordura. Viotto explica que a redução de gordura também contribui para o bom funcionamento do sistema imunológico, além de ser essencial para perda de peso. “Mas, vale lembrar que não apenas a quantidade é importante. A origem ou a qualidade das gorduras que introduzimos na dieta diária também conta. É conveniente incluir na dieta peixes, de preferência provenientes de águas geladas como atum e salmão, nozes, azeite de oliva extra virgem, e óleo de girassol, soja ou linhaça, para garantir um suprimento equilibrado de diferentes gorduras essenciais para a saúde”,  ressalta o médico.

SONO 

Além de alimentação saudável, outro fator que pode influenciar no sistema imunológico é o estilo de vida. Por isso, o médico recomenda às pessoas terem um ritmo de vida mais relaxado e evitar o estresse. “O estresse ocorre quando os episódios da vida, físicos ou mentais, excedem nossa capacidade de lidar com eles. Embora isso possa afetar todos os órgãos e funções do organismo, seus efeitos estão concentrados no coração e no sistema cardiovascular, que é forçado a trabalhar de maneira forçada, e no sistema imunológico, que reduz sua eficácia e seu funcionamento”, salienta Viotto.           

Outra dica para se ter melhor qualidade de vida é a prática regular de algum tipo de atividade física aeróbica de intensidade moderada, como caminhada rápida, natação, ciclismo, entre outras. Outro fator que influencia na imunidade é o sono. De acordo com o médico, é recomendável dormir de 7 a 8 horas diariamente. Por fim, outra dica importante para se ter uma boa imunidade é a higiene pessoal.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

Coronavírus: Hortolândia registra mais quatro casos positivos e total aumenta para 4.413

LEIA TAMBÉM Coronavírus: Hortolândia registra mais quatro casos positivos e total aumenta …