Mariana Araújo de Miranda, de 36 anos, vive dias de angústia e apreensão para saber o motivo da morte da irmã, Luana Araújo de Miranda, de 29 anos, falecida ao desembarcar na Itália. As informações são do G1.

Luana iria encontrar com um amigo brasileiro que mora em Turim e os dois fariam um tour pela Itália e depois iriam para a Suíça, que Luana sonhava conhecer. Quando o amigo de Luana chegou ao aeroporto de Milão para encontrá-la, recebeu a informação de que ela havia sido levada para o hospital e teria morrido lá.

A irmã conta que a vítima havia tomado um antialérgico e um outro remédio para enjoo.

A família ligou para o Itamaraty, mas não conseguiu nenhuma informação porque, de acordo com Mariana, essas questões não poderiam ser resolvidas na Itália durante o fim de semana.

O Itamaraty  informou na segunda-feira (10/02/2020), que o corpo de Luana aguardava por necropsia e que era preciso uma autorização da Justiça, por ser tratar de uma estrangeira. O exame está marcado para esta quinta-feira (13/02/2020).

De acordo com Mariana, a família aguarda para ter acesso ao diário de bordo da ambulância que socorreu Luana e ao prontuário médico do hospital. Além disso, eles não sabem quando vai sair o atestado de óbito. Contudo, a família acredita que Luana tenha morrido de embolia pulmonar.

A irmã disse que a Latam se colocou à disposição da família e que vai fazer o traslado do corpo de Luana para o Brasil.

O caso
Luana estava planejando a viagem desde o meio do ano passado e escolheu o período das férias para realizá-la. Só que a programação da jovem começou a dar errado dentro do avião. Ela começou a se sentir mal, com falta de ar.

Quando aterrizou em Milão, Luana foi prontamente socorrida e levada de ambulância para um hospital, mas não resistiu e morreu.

Fonte: Metropoles

Leia também

Adolescente é apreendido após roubo com reféns em Hortolândia

Outros dois suspeitos de participarem do roubo conseguiram escapar ROUBO | Itens apreendid…