A Região Sul do Brasil deve ser atingida, entre esta terça (7) e a próxima quarta-feira (8), por ventos que podem atingir até 100 km/h. Na semana passada o estado de Santa Catarina foi o mais atingido pelo “ciclone bomba”, que deixou, ao menos, 14 pessoas mortas e destruição nos estados onde passou.

A tempestade passou por todas as regiões deixando um rastro de destruição, com quedas de árvores, postes e destelhamento de residências.

LEIA TAMBÉM

Os ventos chegaram a 120 km/h, o equivalente a um furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson. Rajadas de até 90 km/h são esperadas nos Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e no território paranaense.

Mais de 1,5 milhão de pessoas ficaram sem energia elétrica. De acordo com relatório da Defesa Civil do Estado, foram registrados estragos em 83 municípios catarinenses até as 6h30.

O “ciclone bomba” que está passando pelo sul do país ocorre quando a pressão atmosférica no centro do ciclone de forma muito rápida.

A meteorologista Estael Sias, da Metisul, diz que “quanto mais baixa a pressão atmosférica numa determinada área, mais tem elevação de ar e nuvens carregadas.”

Leia também

Hortolândia faz campanha para adoção de 230 cães e gatos; veja regras

LEIA TAMBÉM Hortolândia faz campanha para adoção de 230 cães e gatos; veja regras Covid-19…