Pacientes aguardam atendimento em unidade: ideia não é zerar completamente a fila, mas reduzir a espera

Cedoc/RAC

Pacientes aguardam atendimento em unidade: ideia não é zerar completamente a fila, mas reduzir a espera


A Região de Campinas deve receber o Corujão da Saúde, do Governo do Estado de São Paulo a partir do dia 25 deste mês. O objetivo da Secretária de Saúde do Estado é reduzir a fila para exames de ultrassom, mamografia e endoscopia, nesta primeira fase. Além da região de Campinas, a Grande São Paulo e Vale do Paraíba também vão ser contempladas pelo programa. As três regiões totalizam 155.243 exames.

Segundo o governo estadual, os atendimentos serão realizados em horários alternativos, com a ampliação da oferta nos serviços da rede própria estadual – hospitais e Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) – e também em parceria com hospitais privados. “O Programa Corujão da Saúde terá início em 25 de fevereiro, tomando como base o sucesso da implantação na capital paulista”, afirma o governador João Doria (PSDB).

Segundo a assessoria de imprensa, a Secretaria da Saúde já fez contatos com serviços particulares, como os hospitais Sírio-Libanês, Albert Einstein, Beneficência Portuguesa, HCor, Santa Casa de São José dos Campos, Hospital Vera Cruz (Campinas) e WK Diagnose (Taubaté), entre outros, buscando parceiros para o Corujão.

“A programação acontecerá em etapas, e esta é a primeira, que ocorrerá em três regiões: Metropolitana de São Paulo, Campinas e Taubaté, no Vale do Paraíba”, diz o secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann Ferreira.

Volume de exames

Na região de Campinas, A região de Campinas envolve as 42 cidades que compõem o Departamento Regional de Saúde (DRS) VII, serão 8.356 endoscopias, 55.916 ultrassonografias e 8.866 mamografias, em um total de 73.138 exames. No Vale do Paraíba, 31.478 exames serão realizados, dos quais 3.904 endoscopias, 24.988 ultrassons e 2.586 mamografias.

Na Região Metropolitana da Grande São Paulo serão realizados 50.627 exames na primeira fase do programa, dos quais 4.552 endoscopias, 42.643 ultrassons e 3.432 mamografias.

“Contatamos entidades privadas, que, junto conosco, farão um esforço coordenado no sentido de diminuir o número de pacientes em filas para exames. Nas três regiões, teremos o total de 150 mil exames, divididos em diversas áreas. São exames de imagem e endoscopia. Pelos cálculos, no prazo de 60 dias conseguiremos diminuir significativamente essas filas”, acrescenta Germann.

“Estamos fazendo um grande esforço para agilizar a realização dos exames de imagem mais solicitados na rede pública, eliminando a demanda reprimida e assegurando o tratamento dos pacientes. Já estamos estudando as próximas etapas e regiões onde o Corujão estará presente, abrangendo todo o Estado de São Paulo”, diz o secretário de saúde.

No entanto, ele aponta que o projeto não tem como objetivo zerar as filas para exames. “A gente fez alguns cálculos e, pelo número de exames e capacidade geral, em 60 dias a fila estará em níveis razoáveis. Não é zerar, é deixar em níveis aceitáveis”, explica.

Negociação

O secretário disse ainda que não foi fechado nenhum contrato com o Hospital Vera Cruz. “Estamos em negociação com ele e em contato com outros hospitais, uns três. Tudo depende dessas conversas. O contrato é feito por meio de um chamamento público”, afirma.

Vera Cruz

O Hospital Vera Cruz foi procurado e informou por meio da assessoria de imprensa que, ontem, o secretário de Saúde teve uma conversa e ofereceu a proposta ao hospital. A unidade confirmou que está em negociação para entrar no Corujão da Saúde. 

Escrito por:

Francisco Lima Neto/Especial para AAN


Fonte: RAC

Leia também

Empresa de telecomunicação está com 20 vagas de Vendedor Televendas

Empresa de telecomunicação em parceria com a Luandre está com 20 oportunidades de emprego …