Profissionais participam de capacitação, com objetivo de oferecer trabalho mais humanizado e integrado aos pacientes psiquiátricos

Profissionais de enfermagem da rede pública de saúde de Hortolândia, que atuam nas unidades de urgência e emergência, participam de um curso de capacitação em saúde mental, em conjunto com as equipes da rede de atenção psicossocial do município. O objetivo é integrar os serviços de saúde mental e de urgência e emergência para a oferta de atendimento mais humanizado e integrado aos pacientes psiquiátricos em crise. A atividade, oferecida pela Prefeitura de Hortolândia para cerca de 250 profissionais, terá oito encontros, ao longo deste mês: cada dia uma nova turma acompanha as instruções.

“As equipes de urgência e emergência terão condições de oferecer uma melhor assistência à pessoa com transtorno mental e auxiliar nos atendimentos” observa a gerente de saúde mental do município, Leice Santana Alves dos Santos. Durante a capacitação, a equipe da rede de atenção psicossocial de Hortolândia, incluindo os coordenadores dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial) do município, orientam os participantes do curso com abordagens como a história da reforma psiquiátrica no Brasil e o atendimento de pacientes em crise.

O suporte ao serviço de saúde mental já acontece na rede de atenção básica. Nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde), há uma equipe multidisciplinar, composta por enfermeiros, agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem e médicos, que auxiliam na estruturação do atendimento em saúde e acompanham o pacientes. Após o diagnóstico, os casos mais graves são conduzidos para o Caps (Centro de Atenção Psicossocial), onde recebem tratamento, como terapias e oficinas, além de acompanhamento médico, terapia ocupacional, assistência social e psicológica. Crianças e jovens com idade até 18 anos diagnosticadas com transtorno mental passam por atendimento no Caps Infantil. No Caps Vida, são atendidas pessoas com mais de 18 anos, diagnosticadas com neuroses e psicoses. Já no Caps AD (Álcool e Drogas), o atendimento é voltado para dependentes químicos. As três unidades atendem de portas abertas, ou seja, não é necessário encaminhamento médico para procurar atendimento.

“O serviço de saúde mental inspira muitos cuidados e, por isso, precisa de uma atenção mais humanizada. A capacitação tem o objetivo de passar mais segurança no momento em que o profissional de emergência precisa agir em casos de crises ou surtos”, observa o diretor de Atenção Básica de Saúde, Felipe Augusto Reque, ressaltando que a formação em andamento é importante para que pacientes tenham atendimento mais humanizado nas unidades de pronto atendimento, como UPAs-24h (Unidades de Pronto Atendimento), Hospital Municipal Mário Covas e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Conforme Reque, a formação servirá para aprimorar a capacidade da equipe de urgência e emergência em conduzir situações de crise de uma forma qualificada e responsável.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

BOSCH disponibiliza 17 vagas de emprego para Campinas e região

A empresa disponibiliza dezessete vagas diferentes para a região de Campinas; mas há oport…