Quer receber as principais Notícias de Hortolândia e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Peças são confeccionadas por aprendizes do curso de Costura Industrial, oferecido pela Administração

A Prefeitura de Hortolândia já iniciou a produção dos uniformes escolares que os alunos da rede municipal de ensino usarão no próximo ano letivo. De acordo com as secretarias de Educação, Ciência e Tecnologia e de Inclusão e Desenvolvimento Social, a previsão é que os alunos recebam os novos uniformes no início de 2019. A grande novidade é que serão entregues, de uma vez, os uniformes de verão e de inverno. A ação é uma das prioridades do prefeito Angelo Perugini na área da Educação.

A confecção dos uniformes é feita pelas 60 aprendizes do curso de Costura Industrial oferecido pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. “Elas fazem os uniformes com muito cuidado. Algumas delas são mães e seus filhos estudam nas escolas da nossa rede municipal”, destaca o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

As aprendizes serão responsáveis pela confecção de 125 mil peças. Cada aluno receberá duas camisetas e uma bermuda (uniforme de verão) e uma calça e uma jaqueta (uniforme de inverno). No momento, estão sendo confeccionadas as calças. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, são produzidas, por dia, cerca de 1.000 peças.

Uma primeira prova dos uniformes, que terão pequenas mudanças, já foi feita com os alunos. O secretário Régis Athanázio Bueno salienta que o tecido usado para a confecção dos novos uniformes é antialérgico. Além disso, ele destaca que foram feitos ajustes nas jaquetas de inverno: novo tipo de punho que não esgarça com facilidade, zíper que sobe até o pescoço e barra na parte inferior para proteger mais as crianças nos dias de frio.

“Nossas crianças conferiram os uniformes e aprovaram: além de bonitos, são bem confortáveis. A Prefeitura se preocupa em oferecer o melhor para os alunos. Estamos nos preparando, com planejamento e logística adequados, para que todas as crianças tenham acesso ao conjunto completo de uniforme logo no início do próximo ano”, destaca a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Alessandra Amora Barchini.

ORGULHO

No curso de Costura Industrial, as aprendizes têm a parte prática, que é justamente a confecção dos uniformes escolares. Para muitas delas, a tarefa de produzir os uniformes que seus filhos e os de outras mães usarão é motivo de orgulho. É o caso da aprendiz Claudinéia Rocha, de 42 anos, moradora do Jd. Amanda, mãe de dois filhos. “É uma fofura ver as crianças com os uniformes. Você pensa: ‘Fui eu que fiz!’. Fico muito orgulhosa”, conta. 

Sensação semelhante também é compartilhada pela aprendiz Andreia Soares da Costa, de 42 anos, moradora do Jd. Santa Clara do Lago. “Meus filhos já são crescidos. Mas, mesmo assim, é muito gratificante ver o uniforme começar do zero. Você vai fazendo as peças até ficarem prontas”, destaca.

GERAÇÃO DE RENDA

A Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social informa que o curso de Costura Industrial tem duração de um ano. São oferecidas 60 vagas, 30 no período matutino e 30 no período vespertino. O curso é ministrado no CQPP (Centro de Qualificação Pessoal e Profissional) Costura & Moda, localizado na rua Eleusina Batista Silva, 14, Jardim Terras de Santo Antonio.

O curso é voltado para pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos quatro CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) existentes na cidade e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores. As aprendizes recebem bolsa de R$ 510,00 e cesta básica. A atual turma de aprendizes deverá se formar em maio de 2019.

Fonte: Prefeitura de Hortolândia

Leia também

Conheça 5 museus com estrutura para bebês e crianças de colo

Equipamentos na capital paulista oferecem desde acessibilidade, fraldário até bancos para …